Seguidores

terça-feira, 15 de agosto de 2017



Melões da Namíbia e o caos social




Manhã fria de inverno , telefone toca a vida segue e Rynaldo Papoy recuperou
Melões da Nanibia um roteiro de um filme . Nem sabemos quando será filmado
mas esta ai escrito. Li um trecho é bem divertido e dentro de nossa realidade
atual.
A vida segue em suas desrazões. Pessoas mortas em manifestações , guerras civis.
Guerra politica ideológicas. O dia a dia nos sae cansativo e prazeroso quem tem
uma vida estável ?
Cães na chuva sem direito a um abrigo. Trabalhadores sem uma remuneração
justas. E Sindicatos que não juntam mais ninguém.
A luta urbana nunca é por ter negócios comunitários. O MST é um avanço
luta por terra que é emancipação financeira das famílias. O MTST por moradia.
Alguém conhece um movimento pró geração de empregos na sociedade Brasileira
ou outros países ? Gerar negócios, trabalhos. A esquerda precisa se repensar e mudar
e nos mudamos ?
A opressão pela falta de trabalho , teto e educação de qualidade. Saúde nem se fala
e a arte para que fins ? Para nos transformarmos e refletirmos o mundo. E o roteiro
de Rynaldo Papoy é fonte de um dialogo a alguns anos. Fazer e criar filmes bons ou ruins
não interessa o importante é agir.
Criticamos o empreendedorismo enquanto pensantes de esquerda , mas propomos algo
que emancipe as pessoas de patrão seja na iniciativa privada ou no setor publico ?
Criar possibilidades de romper paradigmas. O governo real da esquerda Brasileira Lula
e Dilma financiarão estas possibilidades em seus governos ?
A Venezuela tem alguns avanços no setor de cooperativismo como na Argentina ?
Professores num dialogo debatiam as mudanças na educação.
Nossa geração esta no trem da historia. Agora batalhamos por garantias básicas
do cidadão. E um prefeito de direita corta o direito a repetir a merenda escolar
mas foi eleito recentemente pelo povo. O mesmo povo que ele prejudica.
A democracia tem possibilidades para o mal e o bem.
E não ousamos pensar além de direita e esquerda. Precisamos Desconstruir nossas reflexões e ações
as pessoas tem medo de pensar imagina escrever.
E Rynaldo Papoy com seu roteiro de Melões da Nanibia esta ai. Materializado participei
deste processo.
Produzir cinema no Vale do Paraíba já tem muita gente fazendo em São José e Jacareí
preciso fazer meu radar funcionar para registrar aqui no Entrementes.
A Marzia Gatto participou de um filme me convidou pára a estreia mas não me passou
detalhes.
Enfim criar, pensar e agir no mundo é o que nos torna humanos.
Temos inúmeros caminhos enquanto humanidade repetir erros de sociedades fascistas é um abuso.
Uma morta numa rebelião nos Estados Unidos covardemente atropelada.
E só resta aos artistas e livres pensadores registrar estes descalabros.
Enfim Melões da Nanibia esta ai. Ainda como uma idéia. Quiça vira um filme.



Joka


João Carlos Faria

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Ser tão
dimensões múltiplas ..




Por entre a canção de Caetano Veloso .. nos seus setenta e cinco anos. Lanço uma flecha no espaço, dança a mulher maravilha diante de mim.
Ítalo Calvino chega a mim numa flecha quântica , crianças brincam ao comtenplar o voo dos urubus. Na era de aquário um poema inquietante de Ricola , torno me mutante.Dialogo com a poética de Edu Planchez … Mergulho nos quadros e na poética de Diego El Khouri .. Ser tão
dimensões múltiplas .. E Deus e a Deusa dançam dentro de meu coração .. cantemos a vida, tarde de agosto um sorvete de queijo no intervalo de um estudo de concurso. Mergulho nas paginas do livro
e diante de mim Marco Polo e Kublai Khan ali vivos num texto de Ítalo Calvino.
Interconexões no viver … Cantai vos ó pássaros da vida e alguém posta no face o tempo de brigar e o mesmo de amar. Escolhemos entre amar e brigar. A vida corrida do povo que acorda nas madrugadas, trens , ônibus e o cansaço. E cade a poesia para esta gente ..? Quem se encontra numa meditação ? ! Viver entre trabalhar e não trabalhar. Sentir -se vivo como cantou Caetano “ SEM LENÇO NEM DOCUMENTO “ afinal não temos nada .. nascer , crescer , viver amar e morrer e novamente eternidade afora .. quando daremos um salto quântico ? !
E Deusa e Deus estão dentro de nosso coração esperando ser sentido e amados .. Os poetas Sufis cantam ao amado o pai que esta em segredo.


Ser tão
múltiplas dimensões ..


A cidade plena na manhã de uma quinta feira nada de telefonemas para ver o sorriso das crianças e o chorar pela mãe.
Nas canções do Bola de Meia e as crianças se encantam .. OUVEM o Bola .. e as canções de Beto Quadros lindamente apresentado sua arte por uma professora as crianças.
Sorrimos ao Sol de Agosto , cade a chuva ?
Promessas para ver o Mar ? Promessas para ir a Mantiqueira ?
E concursos e mais concursos e sempre “ sem lenço e documento “ pelado pelado nú com a mão no
bolso “ como canta Róger no Ultraje a rigor.
Cade aquela saia vermelha e você mulher dançar para mim. E uma linda mulher dança no stagram nem sei qual música ?
Nunca vi o dançar Sufi .. danças circulares .. cirandas .. Gaia dança e faz gerar universos …


Ser tão


Venezuela , Brasil e o desamor não deve suprimir o amor !


América univos em torno da liberdade de seus povos ..


Dancemos ciranda nas escolas, criemos uma educação que liberte como no sorriso de uma professora no jornal Hoje ..


Ser tão


Dentro de mim entre o morrer e o renascer , Fênix fênix fênix … Eis Deus e Deusa
a dançar dentro de mim .. E quando daremos o salto quântico ?!


Ser tão
Minha alma clama por Ser !
Eu cansado, devemos resurgir como a AVE FENIX .. Ser tão … Ser tão … Ser tão …


Joka


João Carlos Faria









domingo, 6 de agosto de 2017

Viver eis o desafio




Epa fim de semana ao estilo dos poetas que vive doente. Mas escrever é uma necessidade vital e quiça as vezes seja o ultimo. Ninguém sabe o que vem depois. Vivamos intensamente. A literatura de cordel tem chegado a mim de forma nova. Estava ligado em Hai Kai mas o cordel vem através de Paulo Barja , Marzia Gatto que é atriz e escritora. Tantos gêneros literários que podemos experimentar e a cronica parece estar em minhas veias. Estava jogando minhas frases no Face para
bombardear e alguém ponderou que parece auto ajuda. Único gênero literário que não quero experimentar. Linguagem é experimento. E letramento não é só ler e escrever é teatro , dança , cinema, musica não aprendemos o mundo só pela literatura mas com tudo que nos cerca !
Hoje me diverti numa sala de leitura lendo revistas e jornais no inicio de uma tarde , vi duas exposições e um velho Bandeirante em um parque.
Sou do tempo dos jornais. Sei achar o que me interessa para entender nossos dias. E não é que na revista Planeta diz que existe multi versos. Vários universos. Não achei a Caros Amigos sai mais
leve lendo O Vale e a Folha de São Paulo. Dia de céu azul e frio e as pessoas no parque. Nem de longe uma cena de uma musica de Gilberto Gil. E perdemos Luiz Melodia tanta gente boa indo
embora e muita gente para ser descoberta.
Vivemos um mundo meio andrógino onde homens se maqueiam em comerciais de TV. Uma exposição de gravuras que critica a propaganda. Mas sempre nos enganamos. Sera que o leitor chegou até aqui neste meu texto ? Texto é tecer. Criar nem sempre o novo já tentei misturar gêneros numa escrita pretensiosa. Já não pretendo nada fico com o ostracismo e a solidão necessária aos que escrevem. O mundo a vida é um laboratório para entende-lá e tecer meus escritos.
Talvez tenha pretensão ai ? Hoje li Carlos Heitor Cony que talento. Barja e seus cordéis me encantam já tivemos a convivência e a presença de Paulo Nubile neste universo caipira de nossa
cultura no interior entre Sampa e Rio.
Estamos fora e nem somos umbigos com nossas artes. Viver de arte ? Arte é respirar. Imaginar
ser livre. Mas o que é liberdade ? Neste debate interminável sobre gênero. Ney Matogrosso disse que é masculino e pronto. Masculino e Feminino. Mas o corpo é arte ! Do corpo se faz a arte. Porque não o inusitado no corpo masculino ? Só as mulheres experimentam o lúdico no se vestir.
E o corpo masculino sempre a deriva no ostracismo de uma sociedade patriarcal que se esvai. Não ser , nos faz ser ?
Poemas , poesia , arte .. Tantas dialéticas … E a cidade pulsa a vida pulsa .. Vi uma exposição de ciências hoje. E somos uma cidade de ciências e arte. Que tudo se misture esta magia estava na presença de Paulo Nuble e agora em Paulo Barja, Jacek Ricardo SLEVAWA porque não abrir os Laboratorios de Ciências Exóticas no INPE, CTA. Deixa as crianças os artistas brincarem naqueles imensos computadores. Que nem sonhamos chegar perto ?
SÃO JOSÉ DOS CAMPOS pode ser um experimento humano e não desumano !
Arte , ciência , religião de forma harmônica e integrada. Trabalhei numa escola ao lado do INPE, CTA e nem sentia a presença da ciência e de seus cientista. A educação Básica precisa da presença de doutores , cientista estimulando a criatividade.
Só um prefeito meio cientista, exótico circulava cantando o hino nacional nas escolas.
Viver a ciência é necessário. Experimentar , criar, temos a possibilidade de fundir ciência e poesia , matemática e palavra que é tudo a mesma coisa.
Somos enfim experimentos divinos , fragmentos de estrelas.
Esta cidade pode ir além mas parece ficar aquém. O estado é um pacto social mantido por nós.
A cidade é algo imaginado, tecida dia a dia num texto interminável.
E João Nicolau quer se aventurar nas trovinhas. Façamos da arte uma revolução individual e coletiva.
Afinal este momento só acontece agora. Viver eis o desafio. Sobreviver e desesperança.
Tanta gente que me ensina sobre a vida e aqui citei alguns nomes.
Mas qual é o nome de nosso pai ?!
E seja feita sempre a vontade do Pai que esta dentro de nós !




Joka


João Carlos Faria

domingo, 30 de julho de 2017

E os P de partidos já não nos ilude


Negros , brancos , pobres !
A pátria da exclusão , tudo sempre igual mesmo
após o discurso na Flip .. Nas periferias , centros
não existe segurança.
Nas periferias sem emprego.
E na mídia façam bolos ..sejam empreendedores …
Povo sem trabalho , sem aposentadoria
sem dinheiro …
E os P de partidos já não nos ilude ,
esquerda a direita .. e os conchavos aos grandes empresários.
Você vai votar em quem ?!
E nos iludimos nos concursos , nas provas e editais …
A vida é breve .. bela e o Sol de inverno nos dá sentido
de viver.
E as ruas vazias de sentimento .. ilusão, paz opa
levaram seu celular ..
Levaram seu carro , entraram na sua casa ,
opa você morreu !


Joka


João Carlos Faria

sábado, 29 de julho de 2017

Aos P de partidos o lixo da historia

Culhões falta nos culhões para mudar este Brasil !
Sera que no fundo concordamos com a corrupção de cada dia neste
pais ?
O crime organizado já esta se infiltrando nos governos. Devem se juntar
aos já organizados ladroes nacionais.
Este P de partidos são a escoria da nação. Eles já não nos representam
vamos votar para que no ano que vem ?
Nas periferias brasileiras o crime organizado é quem manda.
Ditam as regras e se fazem lei.
Aos P de partidos o desprezo que entrem para o lixo da historia.
Mudanças de forma horizontal e não vertical.
Cabe ao povo Brasileiro novos caminhos na reconstrução da democracia.

Joka

João Carlos Faria

 

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Cidadania !

Silenciar -se nunca diante do desgoverno que se faz no Brasil nos dias de hoje.
O ato politico é um ato de cidadania e amor ao próximo estamos todos neste imenso Brasil
e temos direito a segurança publica, trabalho e emprego, o direito de ir e vir precisa ser garantido , saúde , educação , arte , cultura.
Que democracia é esta? Que os direitos básicos não são respeitados nos não temos classes
somos todos seres humanos.
Se manifestar em redes sociais e nas ruas e praças publicas é dever de todos nós. Não importa nossas cores ideológicas , crenças e divergências somos todos Brasileiros.

Joka

João Carlos Faria
 
Rumo ao 2º Encontro Literário da Mantiqueira




No ultimo dia 21 de Julho de 2017 aconteceu no SESC na comedoria um encontro de pessoas interessadas em literatura e politica cultural em São José dos Campos um encontro prazeroso com mais ou menos dez pessoas entre poetas e escritores.
Mostrando a força e a vontade de fazer arte e cultura na nossa região e uma das decisões é que conversaríamos com a comunidade cultural do distrito de São Francisco Xavier e agora vai ter um outro encontro na Biblioteca de São Francisco no dia 6 de agosto ( domingo ) às 15h na biblioteca pública local.
Este encontro do SESC foi chamado pelo poeta e professor José Moraes Barbosa com boa aceitação por e-mail e nas redes sociais.
No encontro debatemos a falta de apoio dos governos estadual e municipal, Federal na questão de cultura e arte.
No mesmo dia assisti a um documentário na Globo News no horário antigo do Globo Nesws literatura e que mostrou os cortes na arte e cultura no Brasil.
Governos usam da crise econômica para cortar gastos na cultura ?
Sempre defendo nos meus textos a independência no setor cultural e o empreendedorismo.
Mas investir em arte , cultura , educação, saúde publica é um dever do estado Brasileiro.
Como manter orquestras sinfônicas , recuperação do patrimonio histórico das cidades ?
A comunidade avançar e criar um mercado de arte é importante como criação de editoras , gravadoras, produtoras de cinema e video , sites como o Entrementes e ueb rádios como a KFK.
A comunidade local , estadual e nacional precisa se organizar.
Fiquei sabendo hoje que estão propondo a extinção de uma Fundação de Cultura na cidade de São Paulo no inicio do ano aventou-se esta hipote de fechar a Fundação Cultural Cassiano Ricardo que precisa
é se debater a politica de arte e cultura em nosso município.
Mas fechar uma entidade que nasceu no processo de redemocratização do pais é um abuso em nome
do controle das finanças do município.
Cada senador Brasileiro tem direito a 80 acessores e estão penalizando o povo Brasileiro já com a
reforma trabalhista e em breve com a reforma da previdência.
Que pais é este ?
Não iremos nos silenciar que seja um sucesso este 2º Encontro Literário da Mantiqueira.
Quero estar lá enquanto cidadão e escritor.
Cidadania é uma luta árdua. Ano que vem tem eleições que façamos o bom combate.
Mais do que nunca precisamos avançar nos processos de organização do povo Brasileiro.
Que as finanças de nossos governos sejam uma caixa aberta e que possamos decidir os rumos
dos gastos públicos.


Serviço :


Reunião no dia 6 de agosto ( domingo ) às 15h na biblioteca pública local.
Distrito de São Francisco Xavier




Joka


João Carlos Faria

terça-feira, 18 de julho de 2017

O ato sagrado de ler e escrever




Para mim a escrita é um ato Dionísico mas este Êxtase só vem depois da leitura. Sem ler não existimos o ato de ler é criação. É reinvenção bebi de Samael Aun Weor, Paulo Roxo Barja, Jorge Mautner o êxtase é tanto que não cheguei a uma leitura de educação. Mas a sabedoria destes autores e a escrita é a posse numa antropofagia eu os devorei suas letras , sua magia e suas sabedoria. Ser escriba é magico. Ensinemos esta magia as criancas , velhos e jovens. Desfrutar das
palavras é um ato de rebeldia.
Homens sejamos rebeldes vamos abrir as paginas de livros seja em qualquer suporte. Metafisica, física quântica.
Desfrutar da taça do saber. Sou eu você e quem me ler. A humanidade se faz real quando mulheres e
homens leem. Somos imortais. Avancemos num segundo estamos em Atlântida no outro New Yorque. E o monstro da lagoa emerge na sabedoria de Jorge Mautner.
E minha cidade se desvenda em Paulo Barja .. E a criação humana em Samael Aun Weor.
Refundemos a vida. O que nos impede de conquistar a almejada liberdade econômica da América
Latina ? !
O que nos segura a não ser eliminar nossos egos para nossa revolução individual. O coletivo é uma junção de homens livres das amarras egoicas.
Das trevas se chega a luz.
Eu não sou Shophia , nem Maria sou seculos .. 108 EXISTENCIAS … Para se libertar através do
ato de amar.
Criar , homens e mulheres , subir aos céus , baixar aos infernos eis a necessidade de ir além do
homem.
Êxtase sublime este êxtase o ato de ler. Viajar eternidades , redescobrir verdades silenciar em
meditação.
Quando abrimos e nos entregamos a ao ato de ler temos o poder em nossas mãos, canções , poemas, romances , ensaios.
A sabedoria humana numa decifração de códigos.
Sim a escrita é um ato Dionísico onde nos tornamos humanos.
Momentos de liberdade, eis que nos aproximamos de nossa eternidade.


Joka


João Carlos Faria